quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nunca tivera tantas pessoas ao seu redor quanto naquele momento em que tanto desejava a solidão.
Nada tinha contra todos, porém o ar não parecia conseguir te encontrar. Precisava respirar. Precisava ficar só.
Qualquer instante de solidão seria sua salvação. Não importava quanto tempo. Uma necessidade, física até, de estar consigo. Enfim, sós.

03/09/2009

2 comentários:

Rodolfo Alves disse...

nada mais imperfeito que a companhia alheia quando a necessidade é solidão e solidão quando a necessidade é ter alguém ao lado.

=D

Rodolfo Alves disse...

Ah!
Saquei a indireta do texto, to saindo!

Tchau.

=D