segunda-feira, 16 de agosto de 2010

olhos de céu

Tocou meu braço.
Olhei-a.
Rosto tão sereno e tão perdido.
Olhos de céu.
Que outro lugar poderias estar, se não no "mundo da lua", como julgam?
Lugar melhor que nossa pobre terra pobre.
Ofereceu-me um pouco de feijão.
Não, obrigada.
Perguntou-me algo que não entendi.
Respondi que sim.
Ela sorriu.
Sorriu com os olhos.
Com os olhos de céu.
Saiu sem se despedir.
Ficou sem se apresentar.
Adeus, velha menina.

Nenhum comentário: