quarta-feira, 29 de julho de 2009

Sem título

E o que eu sou nesse momento? Tudo se mistura com tamanhas intensidade e velocidade que eu já nem consigo identificar o que é quem.
Te achei, medo! Tua cara eu já conheço... Às vezes não te dou atenção devida, porque me esqueço que tenho que te enfrentar. Conviver com você foi se tornando cotidianamente rotineiro. Agora percebo quão ruim isso é. Não quero ser tua amiga. Não quero estar contigo. Se pudesse, acabaria agora com a tua raça, e ninguém mais me veria contigo.
Mas afinal, suas vidas não acabam? Quantas vezes preciso te enfrentar e me enganar achando que te matei definitivamente? Pra sempre você vai voltar e me derrubar impiedosamente?
Me diz se é assim só comigo...Me diz se você persegue incansável mais alguma alma no mundo! Me diz se você vai se cansar de mim e passar a perseguir outro pobre ser errante... Me diz se isso acaba.
Me esforço na árdua tarefa de reconhecer quem mais passeia pelo meu coração. Dá pra se identificar? Dá pra dizer pelo menos qual é o seu nome? Vocês são tão parecidos...E tão diferentes...Tão confusos...Tão irreconhecíveis...
Ei, você!Tenho a impressão que te conheço! Acredito que não fomos apresentados, mas sua fama atravessa continentes...Será que é você mesmo? Parece diferente... Não, não pode ser você...Mas se não for você a lendária figura que penso, quem serás?
Ora, assim não te reconheço! Se tu me passas a impressão de que trocas de face a cada instante, se me confundes a cada movimento, se não me dás uma só palavra de certeza sobre quem és... Como ousas entrar em mim sem sequer se anunciar?
Aliás...vocês todos!!! Quem são? Como chegaram aqui? E quem pensam que são para invadir um território que outrora adormecia abandonado?
Tudo era tão calmo...Por que se instalaram aqui? Eu não precisava de vocês aqui! Juro que não precisava!
Quem é você? Me solte! Me solte! Que audácia! Espere...conheço você! Raiva é seu nome, não? O que vai fazer?
Não! Medo, saia já daqui! Me soltem!
Esperança, posso te ver aí escondida...Acorde!Me ajude...Me ajude...
Ah, saudade....Me bate e me beija! Não sei o que pensar de ti! Não sei o que pensar de todos vocês! Não sei mais nem onde estou...Tudo parece tão estranho e irreal que as palavras perderam toda sua capacidade de descrever...
Tudo se torna inexplicável, incompreensível, indizível...In...In...In me.

5 comentários:

Laís disse...

O.o

Amiga...

LITERALMENTE PERFEITO!

Mto bem bolado!

:*

Blue butterfly disse...

ai amiga essa situação em que nuss sentimentos nos deixam,parece que fica td mais triste e mais confuso a cada momento de mudança...muitas vezes me sinto assim mas só vc sabe que escreve maravihosamente bem sentimentos mais profundos..amo-te..tah que não foi um comentário muito legal,mas to lendo Polly,aí já viu nê...

☆Liliane♥ disse...

amei a postagem!

amei muitoooooooooo!

continue escrevendo...

e qto ao medo...

eu sei q é difícil, pq ele tb convive cmg, mas torço pra q vc consiga superá-lo!

bju da Lili!

Rodolfo Alves disse...

Tâo lírico e ao mesmo tempo tão pessoal. No momento que li o texto, as palavras me sumiram, porque os meus pensamentos tomaram conta de mim! Realmente a sua mensagem mecheu fundo comigo.

Esse jogo com os sentimentos, personificando-os, fez com que você se afogasse neles e eles em você, pude sentir o seu desespero quando você encarava o medo e falava a ele. O chamado da esperança, o caráter dual da saudade... enfim... in, in, in, inebriante!

=D

R.M. disse...

Sentimentos são sempre confusos, nunca haverá uma explicação ou definição certa para tais.

Gostei do texto. Parabéns! E obrigada pela visita ^^

www.myunwrittenwords.blogspot.com